Petrópolis participa da Marcha pela Ciência

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) está convocando toda a comunidade científica a participar da Marcha Pela Ciência, mobilização mundial de apoio à pesquisa científica. Será o chamado “tesouraço”. O movimento acontecerá, no dia 22 de abril, em diversos países e, no Brasil, a marcha está confirmada em alguns estados: Roraima, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul. No dia 22, no Rio de Janeiro, com apoio da ADUFRJ entre outras instituições do Estado do Rio, a comunidade científica participará do ato em frente ao Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, e em Petrópolis, às 10h, em frente ao Museu Imperial.

Organizada por cientistas, educadores e entusiastas que reivindicam maior reconhecimento da sociedade e dos governantes, a mobilização teve início nos Estados Unidos e já ultrapassa a marca de 514 cidades em 54 países, envolvendo instituições de ponta em ciência e educação. No Brasil, o motivo principal da marcha são as sucessivas “tesouradas” que o conhecimento brasileiro tem sofrido. No dia 30 de março, o governo, ao perceber que não conseguiria cumprir a meta de déficit primário para 2017 — R$ 143 bilhões — anunciou cortes no orçamento de todos os ministérios, com exceção da pasta da Saúde. No caso do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), a tesourada atingiu 44% do orçamento para 2017. Com isso, o valor é o menor que a área vai dispor em 12 anos.

A data escolhida para o manifesto, 22 de abril​, coincide com o Dia Internacional da Terra, e representa a união dos cientistas e da sociedade em geral pela valorização das pesquisas na manutenção de políticas públicas e o incentivo para o desenvolvimento de soluções inovadoras e sustentáveis.

Em Petrópolis, a professora Ana Tereza Vasconcelos, do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia (LNCC), está à frente da organização da marcha, e considera “muito importante a adesão de todas as instituições da área de Ciência e Tecnologia, educação e também das pessoas em geral, pois os benefícios das pesquisas é para todos e havendo cortes, todos serão penalizados. Estão juntos nesta iniciativa a Faeterj, a Fiocruz Petrópolis, Fundação de cultura e Turismo de Petrópolis, e em breve esperamos contar com a adesão de outras instituições que estão sendo contatadas tais como:  UCP, UFF, Fase, Cefet, Sesi-Senai e Senac.”

Foto: reprodução / Marcha pela Ciência em Santiago – fayerwayer.com

você pode gostar também Mais do autor

Comentários estão fechados.

error: Favor não reproduzir o conteúdo do AeP sem autorização (contato@aconteceempetropolis.com.br).

Send this to a friend